Débora Rodrigues espera parar de “bater na trave” em Interlagos

O sétimo lugar de Débora Rodrigues na classificação final da Copa Sul não reflete o grande trabalho feito pela piloto da Volkswagen nas duas primeiras etapas da Copa Truck em 2018.

“Deu vontade de morder o volante de raiva!”

A única mulher no grid da categoria realmente poderia ter conquistado resultados ainda melhores, não fossem pequenas falhas que provocaram grandes prejuízos tanto na etapa de Cascavel quanto na de Guaporé.

“Realmente foi complicado. Já são duas etapas batendo na trave! A primeira foi em Cascavel, quando na segunda bateria eu largaria em primeiro, mas quebrou o parafuso do amortecedor e tive de entrar nos boxes e, assim, largar em último.”

“Mas faz parte, corridas são assim!”

“Em Guaporé eu estava super feliz, andando entre terceiro e quarto, disputando com o André Marques, o caminhão estava muito bom e o trabalho rendendo legal na pista, mas um problema elétrico fez meu caminhão perder a potência e falhar direto!”

“Esse problema deu uma raiva… Deu vontade de morder o volante de raiva! Mas faz parte, corridas são assim. Agora é tentar descontar isso em São Paulo”, completa Débora, que tem pela frente um mês muito especial: no dia 23 de maio, quatro dias antes da corrida paulistana, ela completa 50 anos de idade.

Veja abaixo os melhores momentos da etapa de Guaporé: