Felipe e Roberval lutam pelo anel de campeão das copas

Peça produzida nos EUA tem ouro e brilhantes e terá posse definitiva

Os paulistas Felipe Giaffone e Roberval Andrade, únicos ainda na disputa do título de campeão das copas da Copa Truck, ganharam um incentivo a mais na batalha particular que travarão domingo em Interlagos no encerramento do primeiro ano da categoria. O campeão na soma dos pontos nos três torneios regionais de 2017 – Centro-Oeste, Nordeste e Sul/Sudeste – ganhará um anel de ouro 18 kg com seis diamantes.

O conceito e a produção foram desenvolvidos por Sandro Soares, brasileiro que há mais de 20 anos trabalha em Nova Iorque para uma empresa especializada na joalheria. “Desenvolvemos peças para diversas entidades esportivas. Grandes associações, como a NBA, Nascar e IndyCar, já costumam premiar os seus campeões com anel comemorativo”, explicou o cravejador, que tem sua base na Rua 47, a meca do ramo em Manhatan.

Soares disse que a sugestão para que a Copa Truck oferecesse algo na mesma linha foi do piloto Beto Monteiro, campeão da Copa Centro-Oeste. “Ele teve a ideia, baseado no que viu nos Estados Unidos, e ela foi imediatamente acatada pelos organizadores.” O anel, que também leva ônix e madrepérola em sua composição, apresenta um caminhão sobre um fundo quadriculado em preto e branco, além de três diamantes em cada lateral. “O processo todo leva cerca de um mês, mas para que chegasse a São Paulo a tempo da decisão tive de acelerar e fazer tudo em três semanas”, disse.

Um anel do mesmo modelo custaria em torno de quatro mil dólares (cerca de R$ 12.500,00) no mercado norte-americano, mas Soares observa que o seu valor histórico é inestimável. “Não há preço para uma peça desenhada, produzida e conquistada pelo campeão de uma categoria como a Copa Truck”, concluiu. Giaffone e Roberval, com toda certeza, sabem disso muito bem e não medirão esforços para colocá-lo no dedo na tarde de domingo.

Romário inspira Roberval na decisão

“Usarei os atalhos de Interlagos como o baixinho fazia na área”, promete o piloto da Iveco

Com dois pontos de desvantagem no regional Sul/Sudeste e 18 na briga pelo título de campeão das copas, Roberval Andrade diz que sabe exatamente como desbancar o líder Felipe Giaffone neste domingo nas últimas decisões da temporada inaugural da Copa Truck. “Vou fazer como o Romário, que sabia usar os atalhos para encurtar os caminhos do gol. Um dos meus é o acerto para Interlagos. A performance do caminhão do Felipe tem sido superior à minha, mas em São Paulo posso diminuir a diferença com o bom set up que tenho para a pista. Outro é a motivação. Interlagos é um circuito onde me entrego 100% e vai me dar a chance de virar o jogo e, se ele errar um pouquinho, aproveitar esse erro. Já aconteceu no ano passado, quando disputávamos o segundo lugar, ele queimou o radar e cheguei à frente dele”, explica o piloto da Iveco.

Roberval já tem seu nome garantido na curta história da Copa Truck. Conquistou a pole e a primeira vitória da prova de estreia em Goiânia no final de maio. Voltaria a ganhar em Fortaleza e chega à derradeira rodada dupla animado com a possibilidade de alcançar um novo êxito na carreira. Até porque Interlagos é o palco onde se sente mais à vontade e hospedou alguns de seus maiores feitos. Com cinco vitórias, é o maior ganhador de corridas da modalidade em São Paulo. Uma delas, a de 2004, tem um lugarzinho à parte na memória. “Fiz uma homenagem ao Ayrton Senna na passagem do 10º aniversário da morte dele. Saí na pole na chuva e venci no seco. Aquela foi uma corrida muito especial para mim”, lembra o paulista de 47 anos recém-completados.

Apesar de reconhecer as dificuldades, o representante da Iveco e do Corinthians na Copa Truck promete mover uma perseguição sem tréguas ao adversário. “Tudo ainda pode acontecer. Não é a primeira vez que nos encontramos nesta situação. Já precisei tirar uma diferença de 17 pontos em relação a ele para ser campeão em 2010, ano de centenário do Timão. Já vivi esse cenário de precisar encostá-lo na parede. Vou entrar concentrado para dar o meu máximo e fazer de tudo para ele se sentir pressionado.”
Roberval sabe onde o calo está apertando na disputa que vem travando com Giaffone, da Volkswagen. “Ele teve maior apoio de fábrica no passado e a grande arma dele é a motorização com uma injeção moderna. E o Felipe, como grande piloto que é, está extraindo tudo o que tem de melhor. E, quando você tem um motor bom, o conjunto passa a frear melhor, contornar melhor, retomar melhor. Então, hoje ele vem se sobressaindo. Mas vou para 2018 disposto a acabar com a hegemonia deles”, avisa.

Nesta quinta-feira, a partir das 16 horas, Roberval terá a oportunidade de transformar as palavras em ação na primeira sessão de treinos livres. A programação foi alterada em relação ao modelo que vinha sendo adotado por causa das inúmeras categorias regionais que estarão em Interlagos nesta semana. A sexta-feira terá mais dois ensaios livres (às 11h40 e 16h20), enquanto as tomadas classificatórias seguirão no sábado às 12h50 e a primeira corrida no domingo tem largada programada para as 13h05.