O Autódromo Internacional de Curitiba, que fica localizado em Pinhais (PR), recebe duas etapas da Copa Truck neste final de semana. O encontro será válido pela sexta e sétima etapa em uma das pistas mais tradicionais do país que, quando inaugurada, em 1970, ficava no então distrito de Pinhais na cidade de Curitiba. Com a emancipação, em 1992, a localização do circuito passou a pertencer ao novo município, embora mantendo o nome “Autódromo de Curitiba”.

O fato é que a pista sempre proporciona boas disputas entre os caminhões da Copa Truck e com pontos exigentes de frenagem, especialmente nas curvas 1 e 3. Na primeira, a frenagem acontece a 200 metros do final da longa reta de quase um quilômetro, onde os brutos chegam a 170 km/h (logo após a retomada de aceleração do radar obrigatório de 160 km/h) e reduzem para contornar a curva 1 a 75 km/h.

Ao final da reta oposta, os pilotos reduzem a velocidade em 95 km/h, fazendo os trucks baixarem de 180 km/h para 85 km/h e apenas cinco segundos percorrendo uma distância de meros 180 metros com o pé no freio.

“O autódromo de Curitiba é uma pista que traz uma longa reta onde os pilotos podem alcançar 170km/h após o radar e antes da frenagem da primeira curva, para a qual a redução tem de ser muito forte para fazer o contorno à direita a cerca de 75 km/h. Logo em seguida, sem dar muito refresco aos freios, as curvas da Junção e Pinheirinho aumentarão ainda mais a temperatura nas pastilhas e discos, podendo chegar aos 800ºC ao longo da corrida. São três curvas com freadas extremamente exigentes; no entanto, as pastilhas da Fras-le serão grandes aliadas dos pilotos para garantir a máxima performance e ótima integridade do sistema de freios até o fim da corrida”, diz Roger Lusa dos Santos, Engenheiro de Aplicação da Fras-le.

Confira no video abaixo: