Pilotada sofre de “abstinência” de corridas na Truck

By junho 29, 2018Notícias

Foto: Rodrigo Aguiar Ruiz

O sentimento é de muita saudade e, principalmente, de muita vontade de acelerar. No entanto, ainda restam alguns dias para a próxima etapa da Copa Truck, que está programada para Campo Grande (MS), no dia 29 de julho. Até lá, teremos exatos dois meses sem corridas desde a etapa em Interlagos.

André Marques, que divide as funções de piloto e dono da equipe AM MotorSport/Império Truck Racing, o período gera um misto de ansiedade, expectativa e de calma para realizar o trabalho.

Foto: Rodrigo Aguiar Ruiz

“Gostamos de estar no autódromo acelerando, brigando pelo pódio e fazendo a coisa acontecer. Mas, também é preciso cuidar de toda a estrutura, fazer toda a revisão dos equipamentos e dar tempo para que a equipe faça tudo com muita calma. Então, quero que chego logo a etapa de Campo Grande, mas que o time esteja com tudo pronto”, comenta Marques, que é o maior pontuador da temporada.

Wellington Cirino adotou outra tática para tentar controlar a abstinência das pistas. Além de auxiliar no trabalho de revisão e ajustes dos dois caminhões do time, ele aproveita para treinar as próximas pistas da temporada com um simulador.

Foto: Rodrigo Aguiar Ruiz

“Desde o início do projeto que estou bastante envolvido com o desenvolvimento dos caminhões, então, mesmo com esse período sem corridas, procuro estar em contato com a equipe e acompanhar os trabalhos. Já o simulador ajusta a matar um pouco da saudade, mas nem se compara com estar dentro do caminhão”, avalia o campeão da Copa Sul.

A corrida em Campo Grande marcará a abertura da terceira das copas regionais que a categoria adota como forma de disputa, cada copa com duas etapas. A Copa Sul teve Wellington Cirino como campeão após as etapas em Cascavel (PR) e Guaporé (RS). A Copa Sudeste só teve uma etapa, em São Paulo. A etapa prevista para Curvelo (MG) foi transferida para outubro por conta da mobilização dos caminhoneiros.